segunda-feira, 28 de março de 2011

musicando...


ENTRE NÓS – MANOEL


Na garupa de Manoel, se vai

Embrenhando mato à dentro, sai

Tal qual canto livre de bem-te-vi

Que soa clareza de SOL em SI


Parece que mais sou lida que leio

Que sou chuva descoberta, puro anseio

De ouvir passarinho em canção

Entoando azul, alcançar com a palma da mão


O perdido está para a sorte, aprumado

Onde o olho improvisa valor ao cisco apagado

É assim que se nasce “cacoete de poeta”

De alma florida, vontade de árvore quieta


Palavra virada ao avesso

Seduz, revigora, vontade recomeço

Aqui, “caracol quer voar”

E os “limos tentam meus pés enverdar”


Entre nós, além de nossos corações

Há todo um universo pra sempre, onde quero estar, ficar... encontrar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário