segunda-feira, 30 de maio de 2011

de agora...


de certa forma...preciso confessar:
os extremos me fazem escrever...
mas quero aprender como encontrar com a inspiração
no meio do que dizem comum...do "normal"
do médio

sexta-feira, 27 de maio de 2011

de agora...


é impressionante como a tendência de ver o erro fora prepondera
como o "coitadinho de mim" aparece montado num cavalo forte e veloz
e como que mesmo vendo que a vida fica pobre
que as relações acabam por mancar, perecer...
não se ousa sair do lugar
não se ocupa com o que é nú e real dentro do ser
não se acaba com a cegueira que demora
me cansa.......


quarta-feira, 25 de maio de 2011

...sobre a beleza e o amor


hoje eu vi e ouvi, senti...
é verdade:algumas sementes demoram pra brotar
mas dão sinais de rica colheita próxima
já dá até pra sentir um gostinho
preciso me lembrar de hoje para sempre
algumas coisas provocam, ao mesmo tempo,
alegria no presente, validação do passado e esperança de futuro

terça-feira, 24 de maio de 2011

...sobre a beleza e o amor


como fazer
para amar e combinar o livre com o muito perto
para caber uma querência que é sem limite
no mundo de molduras
no tempo de cabresto?

quarta-feira, 18 de maio de 2011

de agora...


é tão interessante o que as pessoas conversam...o que elas são quando conversam...ou o que elas conversam porque são o que são. E se mostram então.

algumas pessoas são muito interessantes. Eu acho. outras nem tanto...eu acho também.
aliás...o que eu sinto e penso sobre o que as pessoas conversam...sobre o que são...também acho interessante. Aliás, um tanto de coisa me interessa!

é impressionante como me sinto distante de alguns assuntos de vez em quando e é impressionante o tanto que isso tudo me chama a atenção. Aliás, um tanto de coisa me impressiona!

o tanto que fico observando detalhadamente o comportamento humano e sempre, é claro, fazendo comparações com meu próprio


será que é só por que estou sozinha e viajando, longe dos meus, da minha vida acostumada?


exemplo do que escuto no ônibus indo para o aeroporto:

sobre:
quantas pistas tem uma avenida da cidade e a consequência disso no trânsito
nossa, como tem muitas lojas de venda de carros na mesma rua em Belo Horizonte!
sobre a importância de ser um marrom mais escuro na pintura de um vidro no meio de um projeto de decoração detalhado


será que é porque eu não moro perto dessa avenida?
será que é por que não trabalho com venda de carros?
será que é por que o vidro não é pra minha casa?
será que é o tipo de assunto que não me interessa?
será que é por que não conheço essas pessoas? Será que é porque não tenho ligação afetiva com elas?
ou será que é por que não se trata de algo do meu interesse nesse momento?


fico sem saber se é porque sou mais ligada em assuntos internos e profundos, da vida...do ser...do amor...do viver
ou se sou alienada e egoísta...e fico achando que o bom é conversar sobre o que quero...com quem eu gosto

cada um, um universo...cada mesa de restaurante do aeroporto um assunto

as pessoas se encontram para comer e beber e então conversam? Ou se encontram para conversar e então, comem e bebem? Os dois?

cada um na sua com uma vida enorme por trás e meus olhos e ouvidos e pensamentos e sentimentos no lado na frente

chega.

sei é que pergunto e pergunto muito e sempre...

Melhor ler Clarice!


domingo, 15 de maio de 2011

de agora...


tem gente que queria ser outro...
eu queria ser um monte de mim ao mesmo tempo
é tanta gente
é tanta coisa
são tantos lugares
tantos idiomas
tantos instrumentos musicais
tantos livros
tanta vida
tantos cheiros e sabores
tantos amores...

mas acho que tem gente
que já acha uma de mim mais que o suficiente...
eu não...

de agora...


é o seguinte:
aquele sabonete líquido cheiroso caro...vale a pena
creme de papaya com licor de cassis... engorda? sim...mas é gostoso
o vento atrapalha o cabelo....mas refresca o ser
chuva molha? mas...delícia e é só de vez em quando
tocar sax toma tempo...mas, encanta a alma
e além do mais, tô viva, mereço!
...


sábado, 14 de maio de 2011

de agora...


é incrível como que pra uns o "fora" é o lugar do conforto
e pra outros...do esforço.

terça-feira, 10 de maio de 2011

corpo dentro


salve os sentidos, todos eles
vida longa ao nariz de bom gosto!
hum..........
cheiro bom é tão bom.....
em si então.........
crise de estima olfativa
aviso: não perca tempo
faz bem à saúde!

...sobre a beleza e o amor


vê se pode...
ver-se no e pelo outro, outra...
pele a mostra
surpresa num fim de terça, ou, início de quarta mágica
é assim...
espelhos também podem refletir o bom de cada um
graças a Deus
deixemo-nos refletir
deixemo-nos

ganhei.... :)))))))) http://psicoingrafia.blogspot.com/

Ela é puro Amor



"Eu bem que mostrei a ela
O tempo passou na janela
E só Carolina não viu".

Se Chico conhecesse a Carolina que descrevo, ele jamais escreveria essa canção.
Poderia até escrever, mas nunca nomearia Carolina.

Carolina pode até chegar na janela.
Mas só para admirar uma manhã de outono.
E sentir o vento em seu rosto.

Carolina só sabe viver.
Ela se joga.
É puro amor. Reino dos Céus.

Carolina transpira emoções.
Exala sensações.
Vibração genuína.

Carolina sente, como poucas.
Existe, como nenhuma outra.
E sabe de si.

Carolina te faz sorrir, chorando.
Sem nenhuma tristeza.
Leve em toda a sua fortaleza.

Carolina diz que não é doce.
Mas todo mundo só vê mel.
Ela fala e o mundo cala.

Carolina não anuncia sua presença.
E para ir ao banheiro pede licença.
Pra delírio de todos em volta.

Carolina é pura manhã de domingo.
Pra ela não há dia.
Ela é o dia, embora a noite seja sua grande companheira.

Carolina...
Quem não reconhece seus cachinhos?
Dourados como o sol.
Quentes como o coração dela.

Carolina.
Podia fazer escola. A fila seria imensa.
Mas seu segredo é ser grande aprendiz.

Carolina.
Filhos ela tem dois. Presentes de Deus.
Amores? Incontáveis.

Carolina.
Podia ser samba, mas é sax.
E não há razão ter rima em tanta melodia.

Carolina.
Com as mãos ela fala.
Seus olhos são pura sintonia. Alta.

Carolina que conheço há pouco.
Mas meu espírito a reconhece de muito.
E não a esquecerá por nada.

Carolina.
Minha alma vibra por ser sua amiga.
Por ter entrado na minha vida.
De graça.
E com toda a graça do mundo.

...sobre a beleza e o amor


temos que parar de buscar o padrão nas vivências e nos nomes

domingo, 8 de maio de 2011

...sobre a beleza e o amor


felicidade de verdade é holográfica
alguns instantes...
e já preenche o todo

de agora...




numa boa,

no meio de tanta certeza que prende eu quero é dúvida que liberta
de tanta obediência cega eu quero é autonomia iluminada
de tanta morte eu quero é vida
de tanta guerra
quero é paz...
paz
de acreditar no merecimento do mais fácil de vez em quando
de provocar o tempo de fazer o que se gosta
de acreditar que se pode fazer absolutamente nada quando der vontade
de ler só literatura sensível e profunda e poder escolher não saber o que existe em jornais e revistas...e sim, alienação do fora ruim, mas ligação do dentro bom
a paz de um olhar de amor de verdade e da presença disso o máximo de tempo possível
do silêncio escolhido e respeitado
de gostar de gente seja qual for o tipo, cor, credo, escolha...
de principalmente escolher acreditar no que e em quem quiser...livremente
de não ter que dar satisfações a não ser para a própria consciência
e... de principalmente ser
com liberdade e com vontade

de agora...


entendi:
a escrita e a tatuagem fazem parte da ordem da permanência...
do espelho
do "para sempre"
sem julgamento de valor
sem presença de traça

...sobre a beleza e o amor, corpo dentro e coisas de escrever...


globo oscular

obrigada


meus amores
obrigada pela escolha de nascerem em mim
essa é a minha parte "cereja do bolo"
amo vocês do fundo, do meio, do raso, de cima, de baixo, de frente, de trás, do certo e do avesso, de um lado e do outro do meu coração
antes, hoje e depois
do jeito que é

de agora...




saudade é transporte
aqui e agora inexistentes
até a boca amarga

sábado, 7 de maio de 2011

de agora...


minuto de bobeira...aquele mesmo dos passarinhos...

insanidade não é somente um privilégio dos seres humanos
panela de pressão também fica insana quando submetida ao fogo alto

quinta-feira, 5 de maio de 2011

coisas de escrever




o pior de estar perdido
é achar que está achado

de agora...


a falta de mágoa é um dos estados internos mais libertadores que existem
é a possibilidade de agir por livre e espontânea escolha e decisão
movimento solto e responsável
liberdade de verdade é por dentro

de agora...


tem coisa querepetequerepetequerepetequerepete
querepetequerepetequerepetequerepetequerepetequerepetequerepete
querepetequerepetequerepetequerepetequerepetequerepete
querepetequerepetequerepetequerepetequerepetequerepetequerepete
..................................................................................................................

de agora...


voltando...
mudez também: pode ser absolutamente necessária!
principalmente perante as projeções alheias
remédio amargo para si mesma com dose de esperança de saúde interior
exercício árduo, muito árduo...
"pérolas aos porcos"

quarta-feira, 4 de maio de 2011

de agora...


amor próprio + autoconhecimento + liberdade + independência + coragem + autonomia + fé = perto da felicidade

de agora...


paz...muitas vezes
é não fisgar a isca
é passar longe do anzol afiado


terça-feira, 3 de maio de 2011

deles...


" E cada coisa que me ocorra eu a vivo aqui anotando-a. Pois quero sentir nas minhas mãos perquiridoras o nervo vivo e fremente do hoje."

(Clarice L. - Água Viva)

coisas de escrever


desistência
vem de
des istência
o que é istência?
de existência
de cansaço?

de agora...


nada como a certeza suave da presença constante...
como um riacho que enquanto vai buscando seu próprio caminho
vai nutrindo, refrescando e aliviando por onde passa
meu coração agradece a sua água

segunda-feira, 2 de maio de 2011

corpo dentro


eu ainda não havia pensado nisso:
mas as paredes do coração,
como são músculos...
alongam-se?
arrebentam de amor?
encurtam sem?
será?

domingo, 1 de maio de 2011

de agora...


mudez também pode ser
falar, mas não ser compreendida
e falar para não ser
não ter com quem falar
não poder falar o que quer
não poder falar com quem se quer

de agora...


mudez também...
é a falta da fala perante o deslumbramento dos sentidos...