terça-feira, 10 de maio de 2011

ganhei.... :)))))))) http://psicoingrafia.blogspot.com/

Ela é puro Amor



"Eu bem que mostrei a ela
O tempo passou na janela
E só Carolina não viu".

Se Chico conhecesse a Carolina que descrevo, ele jamais escreveria essa canção.
Poderia até escrever, mas nunca nomearia Carolina.

Carolina pode até chegar na janela.
Mas só para admirar uma manhã de outono.
E sentir o vento em seu rosto.

Carolina só sabe viver.
Ela se joga.
É puro amor. Reino dos Céus.

Carolina transpira emoções.
Exala sensações.
Vibração genuína.

Carolina sente, como poucas.
Existe, como nenhuma outra.
E sabe de si.

Carolina te faz sorrir, chorando.
Sem nenhuma tristeza.
Leve em toda a sua fortaleza.

Carolina diz que não é doce.
Mas todo mundo só vê mel.
Ela fala e o mundo cala.

Carolina não anuncia sua presença.
E para ir ao banheiro pede licença.
Pra delírio de todos em volta.

Carolina é pura manhã de domingo.
Pra ela não há dia.
Ela é o dia, embora a noite seja sua grande companheira.

Carolina...
Quem não reconhece seus cachinhos?
Dourados como o sol.
Quentes como o coração dela.

Carolina.
Podia fazer escola. A fila seria imensa.
Mas seu segredo é ser grande aprendiz.

Carolina.
Filhos ela tem dois. Presentes de Deus.
Amores? Incontáveis.

Carolina.
Podia ser samba, mas é sax.
E não há razão ter rima em tanta melodia.

Carolina.
Com as mãos ela fala.
Seus olhos são pura sintonia. Alta.

Carolina que conheço há pouco.
Mas meu espírito a reconhece de muito.
E não a esquecerá por nada.

Carolina.
Minha alma vibra por ser sua amiga.
Por ter entrado na minha vida.
De graça.
E com toda a graça do mundo.

Um comentário:

  1. "...com toda a graça do mundo".............tudo.é lindo!!!!!!!obrigada Bruninha querida.....me fez feliz de verdade!

    ResponderExcluir