segunda-feira, 24 de outubro de 2011

de agora...


hora de "entrado em si..."
não...entrada em mim, estrada perdida de mim
movimento por dentro...sem começo e nem fim

hora de esquecer o esforço
sim...respirar silenciosamente então
recolher por um pouco o coração

hora de descansar o ser
mergulhar no sono dos sentidos
deitar os ombros encolhidos

hora de cuidar para dentro
proteger o que de mais meu existe
contra o exposto que insiste

hora de dormir...simplesmente dormir
cegamente dormir
no repouso do corpo
deixar a alma deserta
por uma noite
pelo menos por uma noite...

sábado, 15 de outubro de 2011


e assim vou...
na corda bamba do tempo do mundo
pra não cair no meu tempo sem tempo

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

...sobre a beleza e o amor


tem gente que tem mania de amanhecer a gente por dentro...

sobre o sempre...


será que existe forma de viver em duas linhas paralelas...ao mesmo tempo?

será a escrita o trampolim?
a leitura distração?
os olhos fechados o veículo?
e o corpo? onde que fica?

sábado, 8 de outubro de 2011

musicando...


Glimpse of Immortality


where was I, that couldn't see things

without going there...flowers and old trees

the love inside the forest of us

the life inside the forest of us


hair full of flowers falling from above

through the eyes of childhood

through the pacts of care and affection


who am I that have to live today

after living such things inside and yesterday

that opened my mind, my time

that opened my heart, my time


hair full of flowers falling from above

trough the eyes of childhood

through the promises of love, of love


a glimpse of immortality in twilight

questions starting to be gently solved

because a dream my days can gently go


new inner places

like those leaves in the wind

waiting so long

to truly find us here


hearts are meeting again

and again

and again

domingo, 2 de outubro de 2011

de agora...




sim..precisamos de

lanterna para nossas veredas
e pausa nas certezas

estações de chegada para nosso amor
e coragem para experimentar o sabor

descanso para o olhar
e tempo de abraçar

alternativas de preenchimento nas frustrações
e reparar as constelações

terra fértil pra enraizar
e balão de gás pra sobrevoar

assim...
escrever a tôa
sem ensaio
com ou sem rima
tudo que desfaça
o nó, o medo,
a falta de sentido
da parte cega de mim

sábado, 1 de outubro de 2011

...sobre o sempre...


existe um lugar que não é um... mas, dois
existe um tempo que não é só hoje, mas ontem...sempre
divisa, beira, ponte, entre...
onde o que divide, soma...aumenta...amplia
onde e quem estou?
quem sou?
quem fui?
quem tudo...