quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

de agora e sempre....

2010, e 11 e 12 e 13....
me perco nas contas...
porque sou um monte!
seja também!!!
Feliz 2013...todos os dias e cada um!


sábado, 22 de dezembro de 2012

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

sábado, 8 de dezembro de 2012

de agora...

nem sempre sabemos onde estamos quando queremos escolher um caminho
nem sempre sabemos o que queremos quando temos que escolher para onde vamos
nem sempre sabemos onde chegaremos quando escolhemos o caminho que achamos que nos levará onde achamos que queremos
porque nem sempre sabemos onde queremos chegar
porque nem sempre sabemos quem somos
se estamos em nós, ou se estamos no outro
se caminhamos ou se, simplesmente, imitamos



terça-feira, 27 de novembro de 2012

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

de agora enfim...

assim como um sem chão...vai o dia depois do outro
esperando, esperando o chegar e depois o sem ficar, de novo
sem fim...




domingo, 21 de outubro de 2012

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

de agora



rodopio
sequência de circunvoluções
em torno de muitos centros ao mesmo tempo
cada espiral num ponto do caminho
labirintos que se cruzam
na vontade da liberdade
mesmo na complexidade
expressão da palavra como tentativa de remédio e bússola



de agora

eu brinco
de ser quem eu quero dentro de mim
porque fora, não dá tempo

e de tanto brincar
acabo ampliando o meu estar
nos pequenos detalhes do sentir...



de agora

a roda é gigante
acende e apaga
com altos e baixos
pode ser óbvia e muito inusitada
assim como nós...




de agora




na vida, podemos escolher ficar em três níveis diferentes:
pé no chão
mente no céu
e em um lugar bem novo que acabei de aprender:
dependurada...
em um LÁ bemol
em faltas na faculdade
e...
no pescoço de alguém
e por aí vai...

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Musicando


Minhas estações

Oniricamente invento em mim a vida sem tempo
Asas de corvo, outono e incenso
Nas brumas, meus olhos incertos
Me buscam, me trazem pra perto

No meu sentimento, preciso de alento por dentro

Existe um lugar de inverno em mim
Onde entro e encontro um frio sem fim
Deserto parece perene semente sem chão
Que seca sem brilho, sem inspiração

No meu pensamento, preciso de alento por dentro

E quando setembro se aproxima
Trazendo a flor, o perfume puro que anima
É hora de ouvir o canto da vida
Sentir-se inteira, amada e querida

De dentro de mim, recebo o tão desejado alento por dentro


de agora

...tem dia que é assim mesmo:
a gente foge do mundo e corre pra dentro: "entrado em si"
e enquanto o dentro for um lugar bom de estar...
com poesias e pétalas
orvalho e cavalos alados
cheiro de verde e boas melodias
crepúsculos coloridos e brisa fresca
é que está tudo certo
você já sabe o caminho
o seu paraíso está encontrado!
aliás, o meu...


domingo, 7 de outubro de 2012

sábado, 29 de setembro de 2012

de agora...



o tamanho da sombra do peso
é maior que o peso, só na sombra?
quanto mede o reflexo do peso
senão o peso do nosso olhar 
sobre o que parece o peso real?
existe a sombra do peso
ou o que enxergo é um outro peso maior?
ai leveza...me encontre sem pesos nem sombras...

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

terça-feira, 25 de setembro de 2012

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

de agora

veja e reveja
que a gente deseja
esbraveja e fraqueja
depois peleja
mas a gente veleja...


sexta-feira, 21 de setembro de 2012

de agora...


Santa flor crescente do mato da minha vontade verde
alegrai-me!

sobre o amor...



tem gente que tem a mania do que tem pouca validade: estragar.
e outras, o hábito de algumas flores: perfumar!
podemos escolher perto de quem queremos ficar...


terça-feira, 18 de setembro de 2012

de agora

vou pedir à noite que recolha alguns vagalumes para enfeitar os meus sonhos de luz.


segunda-feira, 17 de setembro de 2012

de agora

eu...
definitivamente
necessito
urgentemente
aprender
a fazer
NADA
também
NADA
simplesmente
NADA
por
mim
NADA
por
ninguém
pelo
menos
de vez
em quando
amém!

domingo, 26 de agosto de 2012

de agora...

A linguagem e o que é inefável muitas vezes se desencontram em encontros que no sorrateiro dos segundos nos invadem e nos tomam sem pedir emprestado.
Nada melhor ou pior, mas e somente, diverso do gradativo, construção da experiência que amplia todo um universo possível em si.
O tempo e suas necessidades e suas armadilhas e suas surpresas e seus desafios e seus convites, vindas e voltas de um fora por vezes incongruente com o de dentro.
Letras e palavras...para respirar...


terça-feira, 21 de agosto de 2012

de agora...

preciso jeito para lidar com papéis sem poesia
preciso jeito para lidar com papéis sociais
preciso jeito pra lidar com saudades...
preciso terra e prefiro água...


sábado, 11 de agosto de 2012

de agora...

algumas esperas teimam....tanto....que insistem em ultrapassar até o sono...
e depois, no sonho, ainda sobrevivem...
e despertam junto com o amanhecer...
e...


terça-feira, 7 de agosto de 2012

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

de agora...

palavras são vagões
que me levam além dos trilhos e das trilhas
ao rumo do quase inefável de mim...


terça-feira, 31 de julho de 2012

sobre a beleza e o amor...



O segredo da vida é não "estrovar" ninguém...
O gostoso mesmo é comer "pão sapecado na rabinha"...
e...carecemos ser é "esteio de arueira"...

Aprendizados de alma de uma viagem maravilhosa com encontro de corações!

Ah... se o Rosa conhecesse a Antônia e outras pessoas das terras do bem querer por onde passei...
e o que  eu vi, ouvi e vivi...


domingo, 15 de julho de 2012

de agora

a "poesia" grita para nascer dentro de mim
a estação de caça às palavras está aberta!
aguarde um pouco mais coração...

quarta-feira, 11 de julho de 2012

de agora

será preciso estar amando para escrever sobre o amor?
será preciso estar doente para escrever sobre a dor?
será preciso estar sozinho para escrever sobre a solidão?
será preciso estar cego para escrever sobre a escuridão?
será preciso estar feliz para escrever sobre a felicidade?
será preciso estar longe para escrever sobre a saudade?
não, não é preciso estar...basta ter estado ou somente palavrear...
rimando...ou sem rimar



terça-feira, 10 de julho de 2012

de agora

o que me faz escrever é da ordem do sentir
da substância da vida cotidiana que me encontra muitas vezes despercebida
é quase como o susto que sente o filhote de passarinho no primeiro voo vacilante
é mais do que pensar, do que buscar palavras com zelo e paciência
é mais como uma inspiração de suspiro do que uma respiração de propósito
é sede e é suporte...é saúde e  fisiologia



de agora

quem tem mania de saber de si o tempo todo
quem não consegue fingir um pouquinho alguma inconsciência desejável
que não busca se distrair de algumas realidades internas...
acaba percebendo algumas coisas que preferia que tivesse ficado no escuro



segunda-feira, 9 de julho de 2012

de agora

bom...então tá.

faço o seguinte: vou indo...
as vezes chorando e as vezes rindo
as vezes parada mas fingindo que indo

afinal a viagem é minha

mas nem sem sempre os trilhos passam por onde gostaria
nem tudo o que a vida pede que eu faça é o que eu faria
e nem tudo o que sou ou o que digo alguém entenderia


domingo, 8 de julho de 2012

de agora

...mas eu queria tanto uma mesa de som para os meus sentimentos...
com botões bem fáceis de serem encontrados
queria ser editável, regulável, mixável, afinável, masterizável, equalizável...
ah, eu queria...



sexta-feira, 6 de julho de 2012

de agora...



tenho certeza que não preciso ficar nessa estrada cinza que precede esse túnel escuro com todo esse rosa do lado....mesmo que tenha uma luz no fim, do outro lado do meu olhar...

de agora...


as vezes fico assim
aqui dentro de mim
colorindo sem fim
quando o preto e o branco
se demoram do lado de fora sem rima afim

quinta-feira, 5 de julho de 2012

de agora



quando quero ir ou sair de algum lugar em mim
fico caçando carona nas palavras até que virem frases
passam por mim como folhas ao vento
e não como cavalos selvagens
por isso...há de se ter delicadeza para alcançá-las
há de se saber pelo menos em qual direção quero que me levem

quarta-feira, 4 de julho de 2012

de agora




volta e meia me pego em surpresas assim
levando em consideração espaços ainda não sobrevoados
encarando seriamente o nascimento de algumas asas novatas
e me surpreendendo com o que ainda não sabia de mim

corpo dentro




valei-me lua cheia
dos meus humores líquidos e humores insólitos...