domingo, 31 de março de 2013

de agora


bota a boca aberta de tanta alma e bebe o que tem por hoje
bebe o mundo possível enquanto o tamanho do querer aguenta

de agora

haja água pra tanta sede
viver num desmergulho seca a gente
de dar dó



sábado, 23 de março de 2013

de agora...

vem aos poucos, parecendo que nem é
passando por cima, com panos quentes
sendo adiado...mas em algum lugar...
o desencantamento vai sendo plantado
e o que nasce daí é fruta perdida no tempo


de agora...

algumas sedes quando não resolvidas são boas pra secar fontes
a necessidade de receber chuva é de acordo com cada solo
há de se saber pisar descalço, de pé sensível...




de agora...

é possível sa(o)ltar(-se)...


de agora...

existe salvação de todo tipo:
de céu azul, de chuva
de abrigo, de vento
de cidade, de roça
de doce, de salgado
de dia, de noite
mas, principalmente,
de encontros e despedidas necessárias, enfim.