domingo, 26 de outubro de 2014

de agora...

mãos ao alto, saudade da palavra!


de agora...

o rio chega ao mar, por um caminho ou por outro
é assim...nada pára ele não...
tá na base da querência, que sabe onde quer chegar


de agora...

...acho que tenho parentesco com a flor do cactus
espinhos me dão vontade de florescer...
amém!